Centelha

Paletes de fibra de coco

O coco

O coco é um fruto com diversas utilidades. Com ele obtemos: sabão, manteiga, leite, açúcar, óleo, água, além de ser um ingrediente para vários outros produtos alimentícios e cosméticos. Sua fibra também tem utilidade, mas é subutilizada. As indústrias automobilísticas, de ar condicionado e de instalações acústicas utilizam a fibra emborrachada (impregnada com látex) na manufatura de colchões de mola, estofamento de carros e almofadas. Mesmo sendo utilizada por estas indústrias, grandes quantidades dessa parte do coco ainda vão parar no lixo, e o que é pior, muitas vezes é incinerada.

© COCOPLANET

O que são paletes?

Palete é um estrado – usualmente de madeira (de baixa qualidade), mas que pode ser também de metal ou mesmo de plástico – é utilizado para a movimentação de cargas. Sua forma permite o encaixe dos garfos das paleteiras e empilhadeiras (veículos utilizados para a movimentação de cargas) e, desta forma, são levados de um lado para o outro. Os paletes seguem dimensões padrão que, desta forma, facilitam o armazenamento em locais específicos, como por exemplo, em contêineres.

Paletes de coco

Porque não utilizar a fibra do coco como matéria-prima para a manufatura de paletes?

Foi isso que pensou Michiel Vos, holandês, empreendedor serial, especialista em economia circular e cofundador da CocoPallet, uma start up que desenvolveu paletes com a fibra de coco adaptando pesquisas realizadas na Universidade de Wageningen (Holanda). Segundo a empresa, só na Ásia são produzidos anualmente cerca de 1,7 bilhão de paletes de madeira, consumindo aproximadamente 200 milhões de árvores. A utilização de paletes de coco poderia reverter esta situação.

Os paletes da CocoPallet são (de acordo com o site da empresa) 100% de base biológica e não são necessários tratamentos químicos contra pragas, como a fumigação com brometo de metila. Para o comércio internacional, os paletes precisam atender as normas fitossanitárias internacionais (ISPM 15) que aborda a necessidade do tratamento de materiais de madeira com espessura superior a 6 mm, utilizados para enviar produtos entre países. Seu principal objetivo é impedir a disseminação de doenças e insetos que possam afetar negativamente os ecossistemas.

Fundador e CTO Michiel Vos – © COCOPLANET

Ainda de acordo com o site da CocoPallet, os paletes são 100% biodegradáveis, não só por serem de base biológica, mas também por não utilizarem pesticidas, resinas sintéticas, aditivos ou mesmo pregos. Após o uso, eles podem ser triturados, reciclados ou mesmo compostados.

Seu design permite o empilhamento, quando não em uso, ocupam um espaço bem menor se comparado com os paletes tradicionais. O palete CocoPallet mede 1,1 m x 1,1 m, no Brasil é utilizado o padrão PBR, onde a medida é de 1,2 m x 1 m com 13,5 cm de altura. O empilhamento de 20 paletes CocoPallet mede 75 cm, enquanto 20 paletes modelo PBR medem, aproximadamente, 2,7 m de altura.

O peso que os paletes de coco aguentam depende do modelo, mas a maioria dos seus modelos suportam 2 toneladas de carga estática e 1 tonelada de carga dinâmica e, estão desenvolvendo um modelo para suportar cargas mais pesadas.

Produção

Atualmente a empresa ainda não está produzindo os paletes, estão na fase de busca de investidores e de parceiros locais para o desenvolvimento de fábricas. A previsão é produzir grandes volumes até o final de 2020.

© COCOPLANET

No Brasil

A seguir informações obtidas no site Respostas Sebrae (https://respostas.sebrae.com.br/utilidades-da-fibra-do-coco-que-resultam-em-oportunidades-de-negocios/), “De acordo com o relatório da Embrapa, estima-se que o consumo nacional de água de coco por áreas como medicina, biotecnologia, nutrição, entre outras, estejam ao redor de 100 a 350 milhões de litros por ano, com uma taxa de crescimento anual de, aproximadamente, 20%. Em contrapartida, há muito desperdício da casca do coco. Para que se tenha uma ideia, veja o diz a Agência de Informação Tecnológica da Embrapa a respeito: no Nordeste, são cultivados 224.918 hectares de coqueiros (IBGE 2009), o que resulta em uma produção anual de resíduos do coqueiro na região de, aproximadamente, 729 mil toneladas de casca; 595 mil toneladas de folhas e 243 mil toneladas de inflorescência, totalizando 1 milhão e 567 mil toneladas de resíduos. A maior parte da casca produzida no Brasil, quando não é jogada no lixo, é incinerada nos locais onde se faz o descascamento dos frutos. Dessa maneira descarta-se também uma quantidade significativa de material de alto valor para a indústria e para a agricultura. Além desses desperdícios, ainda há o descarte no meio ambiente após o consumo da água de coco, o que torna a casca seca e inviabiliza o seu uso.”

No Brasil, dentre os 10 maiores estados produtores de coco, 7 são da região Nordeste, ficando a liderança com a Bahia, seguida de Sergipe e Ceará. Estes 3 representam cerca de 50% da produção de coco nacional. O Brasil é 4º maior produtor mundial de coco com 2,8 milhões de ton., atrás penas da Indonésia com 19,5 milhões, Filipinas com 15,3 milhões e Índia com 10,8 milhões (Sindicoco, 2012).

 

FONTE(S):

https://www.cocopallet.com/

Download WordPress Themes Free
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Premium WordPress Themes Free
free online course
download intex firmware
Free Download WordPress Themes
ZG93bmxvYWQgbHluZGEgY291cnNlIGZyZWU=