Centelha

Vida Veg – produtos com propósito

Como tudo começou

Anderson Rodrigues, trabalhando como voluntário em uma ONG de proteção animal (2009/10), conheceu algumas pessoas que seguiam o estilo de vida vegetariano e vegano. Nesse período, passou a se questionar, como podia cuidar dos animais e, ao mesmo tempo, comer carne animal nas suas refeições. Foi quando começou a pesquisar sobre vegetarianismo.

Em 2010, graduado em Administração pela UFLA (Universidade Federal de Lavras/MG), Anderson ingressou no mestrado em Gestão Estratégica, Marketing e Inovação, também na UFLA, abordando o tema “Comportamento do Consumidor Consciente”, onde decidiu pesquisar sobre o consumidor vegetariano.

Através das pesquisas, percebeu que o consumidor vegetariano/vegano não estava satisfeito com a oferta de produtos nestes segmentos. O próprio Anderson, que naquela altura tentava seguir uma dieta vegana, não conseguiu, também por conta dessa falta de oferta de produtos no mercado (seja por preço, variedade, sabor etc.). Foi então que percebeu uma (grande) oportunidade de mercado. Juntou então o propósito vegano com uma oportunidade de negócios.

© VIDA VEG

Nessa época, com pouca experiência e sem dinheiro para montar um negócio, trabalhou para uma grande empresa do ramo agropecuário. Depois de quatro anos nessa empresa, em 2014 (depois de fazer um curso no Sebrae – Empretec*), convidou o amigo Álvaro Gazolla (Engenheiro de Alimentos pela UFLA) para ser sócio neste negócio que estava vislumbrando.

* O Empretec é um curso que utiliza uma metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) que busca desenvolver características de comportamento empreendedor e identificar novas oportunidades de negócios. No Brasil desde 1993, já foram realizadas 12.308 turmas, com quase trezentos mil participantes. Atualmente, é promovido em cerca de 40 países. (Fonte: Sebrae)

© VIDA VEG

Depois desse período, em maio de 2015 fundou a Vida Veg em Lavras, sendo o iogurte à base de leite de coco o seu primeiro produto. Os primeiros testes não funcionaram (utilizando a estrutura de uma cervejaria), procuraram outros locais para a produção e encontraram uma fábrica antiga de laticínios (que precisava de muita reforma). Venderam o primeiro lote de produtos (60 litros), com muita dedicação e ajuda de amigos na primeira produção. Comprando coco seco nos mercados locais e, com improvisação e muita dedicação (e uma máquina de suco adquirida para iniciar as produções). Estava fundada oficialmente a Vida Veg, uma empresa que tem a missão de “contribuir para um mundo melhor, facilitando o acesso a alimentos de base vegetal, gostosos e saudáveis”.

Na sequência (2016) vieram os queijos veganos à base de castanha de caju, (2017) requeijões à base de mandioca, (2018) leites vegetais de coco e amêndoas e um shake proteico, (2019) o primeiro iogurte grego vegano do Brasil, (2020) primeiro iogurte proteico vegetal do Brasil (à base de leite de coco – o Veg Protein) e, lançaram também, uma linha de leites frescos à base de coco, amêndoas e castanha de caju.

© VIDA VEG

© VIDA VEG

Linha de produtos e mercado

Atualmente, a Vida Veg oferece leites vegetais de coco, amêndoas e castanha-de-caju; iogurtes de leite de coco; queijos de castanha de caju; requeijões de mandioca e, acabaram de lançar hambúrgueres vegetais com sabores de carne e frango. Um total de 27 produtos. Os produtos mais procurados são o leite de amêndoas e o queijo muçarela de castanha.

© VIDA VEG

© VIDA VEG

Nos primeiros anos da empresa, o seu público se concentrava nos vegetarianos e veganos, foram conquistando também os alérgicos à proteína do leite (principalmente crianças que viam seus colegas de escola tomando leites e iogurtes, mas não podiam consumir estes produtos). Nos últimos anos, o público preocupado em ter uma alimentação saudável e mais sustentável (que quer diminuir o consumo de carne, leite e ovos) vem crescendo consideravelmente. Essa constatação da Vida Veg é, na realidade, uma tendência que vem se consolidando ano a ano.

O mercado comprador dos produtos da Vida Veg é essencialmente brasileiro, estão presentes em dois mil pontos de venda nas principais redes de supermercados do país. A maior parte do seu público se concentra nas grandes cidades. Atualmente, a marca já é uma referência para o público vegano/vegetariano e, como falamos acima, está se tornando referência também para o público que busca uma alimentação saudável e não é necessariamente vegano, vegetariano ou alérgicos à proteína do leite de origem animal.

Lançamento: hambúrgueres feitos de plantas, sabor carne e frango – © VIDA VEG

Nova fábrica, projeções, vendas

Em janeiro de 2020 inauguraram a nova fábrica (em Lavras), como diz Anderson: “a maior e mais moderna fábrica de leites vegetais frescos e derivados do Brasil! Investimos numa fábrica moderna de alta tecnologia para suportar um crescimento muito forte de produção e vendas para os próximos anos”. Com capacidade para quinhentas toneladas/mês, atualmente utilizam apenas 20% dessa capacidade. Logo após a inauguração, veio a pandemia que, como na maioria dos segmentos, resultou em uma queda nas vendas, queda esta que já foi revertida para o patamar que foi planejado para o atual período do ano.

Clique aqui para ir para o vídeo da nova fábrica

A empresa sempre anotou um crescimento sustentável ano a ano, sempre acima de 50%. Com projeções para um crescimento acima de 100% para 2021, acima de 100% também em 2022, 70% em 2023 e, como salienta Anderson, projeções calculadas “sempre em relação ao ano anterior”. “Estamos buscando um crescimento agressivo.”

Nova fábrica – © VIDA VEG

Nova fábrica – © VIDA VEG

A empresa enxerga, de acordo com pesquisas, um forte crescimento desse mercado, no Brasil e no mundo. Não só pelo crescimento do público vegano e vegetariano, mas também pelo crescimento do público preocupado com a sustentabilidade do planeta e com uma alimentação saudável, um público preocupado com o que está ingerindo. A Vida Veg registra números expressivos, já foram vendidos mais de um milhão e trezentos mil produtos.

© VIDA VEG

© VIDA VEG

Ingredientes

Os ingredientes utilizados são, na maioria, de origem nacional, mas alguns poucos são importados, como por exemplo, a pasta de amêndoas. Mas a empresa ressalta que está sempre em busca de fornecedores nacionais. Sempre preocupada com a sustentabilidade em todos os seus pilares, a Vida Veg compra a castanha de caju do projeto social Amigos do Bem, que é um dos maiores projetos sociais do país, “atendendo regularmente a mais de setenta e cinco mil pessoas no sertão de Alagoas, de Pernambuco e do Ceará; promovendo a transformação de milhares de vidas por meio de projetos contínuos de educação, geração de renda e acesso à água, moradia e saúde”.

© VIDA VEG

A Vida Veg é 100% vegana, certificada pela Sociedade Vegetariana Brasileira. Como na fábrica “não entra leite de vaca”, ou seja, como não produzem leite de origem animal, não há nenhum risco de uma contaminação cruzada, os alérgicos à proteína do leite de vaca podem consumir “sem risco” e saborear os produtos da Vida Veg.

Além dos hambúrgueres vegetais recém lançados, Anderson sinaliza que novos produtos estão a caminho! Mas não revela quais… aguardem cenas dos próximos capítulos.

© VIDA VEG

 

FONTE(S):

Vida Veg

Vídeo institucional

POST(S) RELACIONADOS:

Pic-Me

Download WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
Download Premium WordPress Themes Free
Download WordPress Themes
online free course
download lava firmware
Download Nulled WordPress Themes
free download udemy course