Centelha

Fini – sai o colágeno entra a pectina

Colágeno e as gelatinas

O colágeno representa cerca de 1/3 das proteínas tanto no nosso corpo quanto na dos animais. É responsável pela força e elasticidade da pele, dos ossos e dos tendões. As gelatinas que conhecemos, são feitas desse mesmo colágeno animal.

Em uma descrição simplificada, para se transformar o colágeno animal em gelatina, partes dos animais (bovinos, suínos) são trituradas, são pré-tratadas com fortes ácidos ou fortes bases que quebram as estruturas para liberarem as proteínas, no caso, o colágeno.

A mistura passa por um processo de fervura, onde se forma uma camada na superfície que dá origem à famosa gelatina. Outros processos fazem parte desta operação como a esterilização, secagem e moagem. Como resultado, um pó incolor que tem diversas aplicações em segmentos industriais, dentre eles, o farmacêutico e o alimentício. Utilizada como endurecedor, para engrossar a comida, como um emulsificador ou mesmo um estabilizador em produtos alimentícios ou mesmo em receitas culinárias.

Imagem de Alexas_Fotos por Pixabay. © PIXABAY

A gelatina é encontrada em inúmeros produtos alimentícios como lácteos e sobremesas (iogurtes, queijos, sorvetes, creme de leite), refrigerantes e outras bebidas (pré-clarificação de vinhos e sucos), molhos, embutidos (carne enlatada, salsicha, presunto), confeitos (caramelos, gomas) entre outros. Outros segmentos como o cosmético e o farmacêutico também utilizam a gelatina. Cremes, xampus, loções, pomadas, comprimidos, pílulas. Também é utilizada como revestimento de filmes fotográficos e papéis para impressão, produtos para limpeza (detergentes), fertilizantes etc.

Balas de gelatina

Como o próprio nome diz, as balinhas multicoloridas de gelatina, obviamente são feitas de gelatina. Neste mês de novembro a Fini lançou a suas balas veganas, não mais feitas com a gelatina de origem animal, mas sim, com pectina*. Um movimento bastante interessante vindo de uma das empresas líderes nesse segmento de guloseimas.

* A pectina é um polissacarídeo formado por monômeros de ácido galacturônico unidos entre si por ligações glicosídicas. Suas moléculas compõem a parede celular de vegetais produtores de sementes, desempenham a função de cimentação intercelular e atuam de forma conjunta com outros polissacarídeos, como celulose e hemicelulose. (Fonte: InfoEscola)

© FINI

A entrada no mercado vegano se dá com o lançamento da linha Frutiê, de acordo com a empresa, “a primeira bala mastigável de pectina da Fini Brasil”. As guloseimas são produzidas na fábrica da Fini em Jundiaí (SP).

A novidade vem em forma de uma bala mastigável macia e cremosa, em três sabores: Sobremesas (torta de limão, morango cremoso e pavê de abacaxi), Frutas Sortidas (abacaxi, laranja, lima-limão e morango) e Frutas Vermelhas (cereja, framboesa e morango), nas versões 70 g e 200 g. Outra novidade entre as balas da Fini, está no fato de ser a sua primeira bala unitária vendida no Brasil (são embaladas individualmente).

Sobremesas, Mix de Frutas e Mix de Frutas Vermelhas. © FINI

De acordo com a gerente executiva de marketing da marca, Andrea Köhler, a entrada em um novo nicho “é um passo importante para a Fini lançar um produto sem nenhuma origem animal e entrar em um mercado que é cada vez mais tendência”. “Com isso, conseguimos ampliar perfis de consumidores e abrir ainda mais competitividade no mercado.” As balinhas da linha Frutiê têm a importante certificação da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e estampam o selo de produto vegano em todas as embalagens.

Sabor Sobremesas. © FINI

O mercado vegetariano/vegano, como já comentado aqui na Centelha em outros posts, cresce sistematicamente. Para se ter uma ideia, o interesse do público por veganismo cresceu 941% nos últimos 8 anos (fonte: pesquisa “Alimentação sob um olhar digital” da DECODE e BHB Foods e Suplementos). Segundo pesquisa do IBOPE Inteligência de 2018, 55% dos brasileiros consumiriam mais produtos veganos se estivessem indicados na embalagem, ou se tivessem o mesmo preço que os produtos que estão acostumados a consumir (60%). Nas capitais, esta porcentagem sobe para 65%.

Sabor Mix de Frutas. © FINI

Ainda de acordo com a mesma pesquisa do IBOPE, no Brasil, 14% da população se declara vegetariana, representando quase 30 milhões de brasileiros que se declaram adeptos a esta opção alimentar (número maior do que as populações da Austrália e Nova Zelândia juntas). Em 2012, 8% se declarava adepta do estilo.

Esses dados refletem uma tendência que não é só nacional, é também mundial, consolidam as opções de um crescente público que busca uma alimentação mais saudável, sustentável e ética. Uma grande oportunidade para empreendedores.

Sabor Mix de Frutas Vermelhas. © FINI

A Fini

Fundada em 1971, de origem espanhola (Grupo Sánchez Cano), a Fini está no Brasil desde 1998, iniciando as atividades com as balas “dentaduras” e as “minhocas”. Com presença em mais de 80 países sendo uma das principais produtoras mundiais de balas de gelatina, marshmallows, tubes e chicles. No Brasil, as guloseimas são fabricadas em Jundiaí (SP).

 

FONTE(S):

Fini

POST(S) RELACIONADO(S):

Popai Snack – snacks veganos 

Pic-Me – snacks saudáveis sem blá, blá, blá

Vida Veg – produtos com propósito

Premium WordPress Themes Download
Free Download WordPress Themes
Free Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
udemy course download free
download redmi firmware
Download WordPress Themes Free
online free course